Amo Casamentos

Entrevista para casamento na igreja: prepare-se para esse momento

Entrevista para casamento na igreja

A entrevista para casamento na igreja pode deixar alguns casais de cabelo em pé. Afinal, existe tanto burburinho e dúvidas que o assunto se torna nebuloso.

As míticas que giram a entrevista para casamento não são poucas. Muitas noivas ficam com dor de barriga e calafrios com medo da reação e parecer do padre.

O nervosismo é comum nessa altura do campeonato, mas a entrevista para casamento não é nenhum bicho de sete cabeças. Em geral, a expectativa para ela costuma ser bem pior do que sua realidade prática.

É certo que a figura do sacerdote intimida os noivos, que se sentem tensos sob a hipótese de dizer algo errado. No entanto, as perguntas são bastante objetivas e só requerem a verdade.

O propósito do padre é tratar de perguntas de ordem prática em relação à cerimônia. Na entrevista para casamento, os noivos poderão esclarecer dúvidas e expressar receios e sentimentos.

A entrevista para casamento deve ser vista mais como uma sessão de terapia do que uma sessão inquisitória. A função do sacerdote não é torcer contra a união dos noivos na igreja.

Ao padre, caberá a intenção de certificar-se de que os propósitos dos noivos são firmes. Isto é, que estão se casando pelas razões certas e honesta para a igreja católica.

Essa medida é um reforço para os noivos, que em breve se unirão em matrimônio. Uma oportunidade de refletirem sobre a relação e exprimirem suas convicções.

Se você é um desses casais, e está em processo de preparação para entrevista, esse artigo é pensando em você.

Esclareceremos suas dúvidas sobre quais os pontos levantados pelo padre durante a entrevista para casamento. Listaremos as perguntas e seus significados, bem como o propósito de serem feitas.

A intenção é acalmar as expectativas de quem se prepara para a entrevista, descomplicando a ocasião.

Perguntas feitas durante a entrevista para casamento

1 – Jura dizer a verdade a nada além da verdade?

Essa é a primeira questão levantada pelo padre da igreja. Ela pode intimidar, mas na prática significa ser honesto com seus sentimentos e sua fé católica. Relaxe e confie na orientação de seu coração. Lembre-se que o padre é uma figura presente para ajudá-los, e não para tornar os seus caminhos tortuosos.  

2 – Quanto tempo o casal tem de relacionamento?

As primeiras perguntas tendem a ser práticas e bastante “técnicas”, por assim dizer. O sacerdote buscará conhecer melhor o arranjo da relação dos noivos e há quanto tempo convivem. Essa pergunta não tem mistério, bastará informar o tempo de relacionamento do casal.

Entrevista para casamento na igreja

3 – Os noivos foram batizados?

A terceira pergunta da entrevista para casamento é igualmente simples e descomplicada. Não tem erro e não exige respostas super elaboradas e justificativas. Lembre-se, porém, que as respostas são individuais. Ademais, limite-se a responder o que pergunta o sacerdote. Se for o caso de alguma dúvida prevalecer, ele próprio se encarregará da iniciativa para saná-la.

4 – Os noivos fizeram a primeira comunhão?

Seja honesto e torne a responder individualmente. Se os noivos fizeram a primeira comunhão, estarão prontos para partir para a próxima pergunta. Caso algum deles não tenha finalizado, o padre o incentivará a fazê-lo. O fator não será impedimento para a cerimônia, mas é de suma importância cumprir com ele o quanto antes. Nesse caso, o sacerdote repassará as orientações necessárias para se colocar em dia com a falta.

5 – Os noivos fizeram crisma/foram crismado?

O mesmo vale para essa questão. A negativa não contenta a igreja católica, mas tampouco será um fator terminante. Caso um dos – ou os dois – noivos não tenham sido crismados, o padre explicará a importância da crisma. Em seguida, uma vez entendido isso, o casal estará pronto para seguir com a entrevista para casamento na igreja.

6 – Os noivos já renegaram a fé católica?

Essa talvez seja a pergunta mais complicada. Ela pode soar capciosa e confundir com o domínio de suas inúmeras interpretações. Se tiver dúvida, peça ao sacerdote para pontuar o que se classifica na renegação. Muitos padres procuraram saber se os noivos se converteram a alguma nova religião ou tornaram-se ateus. Lembrando que não frequentar às missas e discordar de algumas diretrizes não é renegar a religião católica. O que será levado em conta é sua fé e ser temente a ela. Muitos católicos se afastam da igreja durante alguns períodos. E, contando com a fé, retornam adiante. Por isso, não fique nervoso. Esclareça os pontos e deixe o assunto elucidado antes de articular e concluir uma resposta.

7 – Os noivos tem ciência de que o casamento é para sempre? Que aquilo que Deus une, nenhum homem não separa? O casal se compromete a nunca se separar?

Essas perguntas nada mais são do que uma demonstração de respeito e identificação com os dogmas da igreja católica. Se os noivos pretendem se casar, assume-se que tenham a vontade de conjugarem a vida juntos. Afinal de contas, ninguém se casa pensando em pedir o divórcio, correto? Portanto, é importante pontuar que o casal está comprometido em não se separar, uma vez que o propósito é a união em matrimônio. Aqueles que querem se casar diante os olhos de Deus, esperam ter a relação abençoada. Isto é, contam que nenhum homem poderá separar a união concebida diante de Deus. Sendo assim, não há porque se acanhar com a pergunta.

Entrevista para casamento na igreja

8 – Os noivos se comprometem a agirem como uma boa esposa e um bom esposo, cumprindo com suas obrigações? Os noivos se comprometem a viver de acordo a fé católica? Acolhendo aqueles filhos que Deus enviar e tratando de criá-los na igreja católica?

Essa pergunta sonda, mais uma vez, os valores dos noivos. No caso do casal ter filhos, o sacerdote se certificará de que serão repassados os ensinamentos católicos às crianças. Em outras palavras, se os possíveis frutos da união serão bem tratados e bem recebidos no seio da família e da fé. Quanto aos cumprimentos de bom esposo e boa esposa, há muito já se sabe: se queres uma princesa, comporte-se como um príncipe; se queres um príncipe, sê uma princesa. Naturalmente, se pretende dividir a vida e o cotidiano, compromete-se a cuidar e respeitar seu companheiro. Afinal, será a dedicação mútua que garantirá uma união harmônica, próspera e estável.

9 – Se compromete em jamais realizar um aborto?

Aqui, o sacerdote reforça o princípio católico. Se o casal pretende ter filhos, é esperado que seja planejado e dentro do tempo certo. E que, antes disso, se não for do desejo do casal, que sejam tomadas medidas contraceptivas para evitar a gravidez. Desse modo, comprometer-se em não realizar um aborto é comprometer-se com a saúde e o bem estar do casal.

Ainda pode acontecer do padre perguntar se o casal compreende a importância do matrimônio; ou, ainda, se a união é de livre e espontânea vontade. Essas perguntas, como as demais, poderão ser tiradas de letra. Basta manter a calma e se manter focado.